segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

O AUMENTO DA PASSAGEM: Artimanhas de qualquer político


“Ficaremos mais um ano sem aumentar a passagem, devido o uso correto dos recursos públicos”, disse Gilberto Kassab, no debate com a adversária Marta, a Suplicy.

Promessa feita, promessa cumprida. Olha que beleza. Passado um ano a passagem permaneceu a R$ 2,30, contudo, não necessariamente com relação a boa administração, fiscalização e tudo o que ele disse, mas sim ao tal do subsidio.

Prova disso é que em 2010 a passagem aumentou uma vez, só que valeu por dois aumentos, o que explica melhor não ter reajustado em 2009. UMA QUESTÃO ELEITORAL.

“Evidentemente nós gostaríamos de não fazer este reajuste. Existem contratos que têm que ser cumpridos, o mais importante é que o orçamento seja dosado, que continuem os investimentos em transporte público, principalmente no metrô, saúde, educação e habitação”, afirmou Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo. Ou seja, aquele papo de fiscalização não era pra valer.

O aumento foi de 17,4%, o dobro do reajuste anual feito em outros municípios. MOTIVO: mesmo em ano eleitoral, os outros municípios não tiveram a possibilidade de gastar um subsidio (recurso público investido para manter as empresas contradas pelo serviço público). Assim, já em 2009, Osasco, Carapicuíba, Barueri e Jandira, tiveram a passagem aumentada para R$ 2,50, e durante um ano, municípios menores cobraram mais que a capital, IMPRESSIONANTE.

Mas tudo acabou, e dessa vez a capital paulista recebeu um duplo aumento, quem sabe, em 2013, não haja SUBSIDIO o bastante para não aumentar mais.

Foram três anos sem aumento
Desde 2006 a passagem em São Paulo não era reajustada.

Mesmo com o aumento
Mesmo com o aumento ainda será investido em compensação tarifária R$ 800 milhões. Segundo o secretário municipal dos Transportes, Alexandre de Moraes, informou ao portal G1, para não necessitar dessa compensação, a passagem teria que ser aumentada a R$ 2,90.
Para não aumentar
Em entrevista ao Jornal Página Zero, o prefeito de Osasco, Emidio de Souza, concorda que o aumento é alto, mas preciso. A alternativa para diminuir o valor cobrado no ônibus, é uma menor taxação do governo, através de uma proposta feita pela Frente Nacional dos Prefeitos. "A proposta de desoneração da Frente Nacional é o que pode garantir uma tarifa menor. Para isso, precisamos que o Governo Federal retire o IPI dos ônibus, para na hora de renovar a frota o custo diminua. Além do IPI, já retirado para os carros, é importante medida igual para o ICMS do combustível, desonerar folha de pagamento e transformar frota de diesel para gás", disse o prefeito.

2 comentários:

JOY disse...

Olááá Meu queridooo, como vai?
puts mew nem fale a zica, os municipais chegaram a 2,70... Os intermunicipais já eram um absurdo, é aumento daqui e aumento dalí, haja sacooo e bolso...
Boa semanaaa
bjooos

Diego & Paty disse...

o pior de tudo é que aumento a passagem e piorou o transporte, aqui aonde eu moro Rio Pequeno aumentou a espera por onibus e a qualidade dos onibus são pessimas, realmente é um absurdo, é revoltante, eu votei no Kassab e estou me arrependendo jah, tava aqui mo feliz pelas construçoes das linha de metro, mas vejo que nossos tantos impostos não são suficiente, aumentou o IPTU e agora a passagem...

Bem vindo

Aproveite para criticar, sugerir e ver a vida do modo diferente que ela merece.